Empreendimento com Múltiplas Unidades Consumidoras de energia solar fotovoltaica de grande porte no país já está em funcionamento

Sex, 25 de Maio de 2018 00:00   

A MRV Engenharia é responsável por este grande passo dado no mercado brasileiro

Um grande marco para o mercado da construção e de energia brasileira se concretiza nesta sexta-feira (25/5), em Minas Gerais. Pela primeira vez no estado, a CEMIG realiza a ligação do sistema de geração de energia solar fotovoltaica de Múltiplas Unidades Consumidoras em um empreendimento residencial. A ligação ocorreu em um condomínio da MRV Engenharia, o Spazio Parthenon em Belo Horizonte.
 
De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), este é o primeiro Empreendimento com Múltiplas Unidades Consumidoras (EMUC) de grande porte do Brasil. Localizado na região da Pampulha, na capital mineira, o condomínio com 440 unidades terá energia gerada através de energia solar fotovoltaica, abastecendo todos os apartamentos e as áreas comuns do empreendimento.
 
Mas o que isto significa?
 
Na prática isto resultará em mais economia para os futuros moradores e um impacto menor ao meio ambiente. Segundo Luis Henrique Capanema, gestor executivo de suprimentos da MRV, a Usina Fotovoltaica (UFV) do condomínio tem uma potência de 437,25 kWp, o que equivale a uma geração de energia mensal de 52.800 kWh.

“Para essa potência, 1.650 placas foram instaladas no empreendimento. O que corresponde a um investimento de mais de um milhão e meio de reais. Em resumo, 120 kWh serão geradas por mês para cada apartamento. Deste valor, 105 kWh/mês serão destinados ao consumo próprio de cada apartamento e 15 kWh/mês serão direcionados para a área comum. Caso o morador não consuma toda a energia produzida pelo sistema, o excesso é convertido em crédito de energia a ser utilizada em até 60 meses”, explica o gestor.
 
Financeiramente isso pode representar uma economia total de R$ 520 mil anualmente. “São 380 toneladas de CO2 deixadas de ser emitidas anualmente”, destaca, Capanema, sobre os benefícios ambientais que a UFV do residencial Spazio Parthenon trará.
 
Em 2017, essa tecnologia foi aplicada em 30% das unidades habitacionais lançadas pela construtora com geração de energia solar fotovoltaica para as áreas comuns dos condomínios.
 
“O Spazio Parthenon é um grande marco para a empresa, pois a geração de energia atenderá o consumo individual de cada apartamento. O que vai ao encontro dos objetivos dacompanhia em contribuir com o desenvolvimento sustentável por meio do investimento em energia limpa, além de um grande passo para a democratização da geração própria de energia”, fala Rafael Menin, copresidente da construtora.

 
Nos próximos cinco anos, todos os empreendimentos MRV terão o sistema de energia fotovoltaica e a construtora estima investir cerca de R$800 milhões na implantação neste período. A companhia deve lançar ainda neste ano, outros dois grandes empreendimentos EMUC.
 
Como funciona a geração de energia fotovoltaica
 
A ideia consiste na instalação de células fotovoltaicas no telhado do empreendimento, convertendo energia solar em energia elétrica. A carga gerada é transmitida para a rede de distribuição da concessionária de energia local e, ao final do mês, a energia produzida pelo sistema entra como saldo e é abatida da conta de luz mensal, podendo até mesmo cobrir quase a totalidade da conta do condomínio.